CRM 36322
ginecologia e obstetrícia
imunologia da reprodução
medicina fetal

voltar|questões mais frequentes

Perguntas e respostas freqüentes sobre a mutação MTHFR

O que significa a alteração homozigoto ou heterozigoto para mutação C677T no gene da metilieno tetrahidrofolato redutase (MTHFR)? Essa alteração isoladamente representa algum problema ou risco?

Essa mutação está associada a um aumento de frequência de alterações genéticas (se não for utilizada a reposição de ácido fólico) e a um pequeno aumento na incidência de trombose na placenta. Isso nos leva a usar anticoagulantes para promover um equilíbrio adequado na coagulação na gravidez.
 
O que significa esta alteração?

Significa que houve uma troca das bases determinantes da seqüência do DNA que determina a produção da enzima Metileno tetrahidrofolato redutase, levando à produção de uma enzima mutante. Esta por sua vez tem uma atividade reduzida em relação à enzima não mutante. Por trabalhar mais lentamente e promover redução do elemento ativo do ácido fólico (tetrahidrofólico - o que implica nas alterações associadas a aumento da frequência de problemas cromossômicos, como a síndrome de Down) e acúmulo de homocisteína (que promove hiperhomocisteinemia, relacionada a trombose).
 
Se necessário, qual o tratamento?

O tratamento se faz pelo uso de complemento de ácido fólico (5 mg por dia por pelo menos três meses antes e durante a gravidez) e pelo uso de uma associação de anticoagulantes, a aspirina em baixa dose (81mg por dia) e por uma heparina, medicamento injetável que é administrado antes e durante a gravidez.
 
Há necessidade de se refazer esse exame, já que o mesmo deve ser interpretado com os achados clínicos e laboratoriais? E quais seriam os achados clínicos?

Não, esse teste é feito por análise de DNA e não tem chances de se modificar ao longo da vida (exceto de erro do laboratório, o que é raro). Não há achados clínicos específicos, a não ser se a(o) paciente tiver antecedente de trombose pessoal ou familiar., mas consideramos o antecedente de aborto ou de infertilidade como justificativas para se instituir o tratamento profilático de trombose.
 
Observamos que existe relação dessa mutação com o ácido fólico, vitamina B6 e B12. Isso procede? Há necessidade de já iniciar a ingestão dessas vitaminas?

Deve ser usado o ácido fólico 5 mg por dia e começar com a Vitamina B12 quando for  liberada para engravidar (essa pode aumentar o apetite e não deve ser usada por tempo prolongado).
 
Os parentes próximos podem ter essa mutação? É necessária uma investigação?

Sim, é interessante para se saber se mais alguém na família tem esse traço genético e com isso fazer a profilaxia da trombose na fase do climatério para as mulheres e para os homens depois dos 50 anos.
 

Ricardo Barini, 17.10.2006

Consultório Campinas-SP:
Rua Antonio Lapa 280 sala 305, Cambuí CEP 13025-240 Veja o mapaDownload PDF
Fone/fax: 19 3294 5807
Consultório São Paulo-SP:
Rua do Rocio 423 Cj.312, Vila Olímpia CEP 04552-000 Veja o mapaDownload PDF
Fone/fax: 11 3846 2409
®2010 Dr. Ricardo Barini - Todos os direitos reservados.
criação: guto lacaz - desenvolvimento: zinga / rota01